Desde que comecei a trabalhar com o bem-estar, venho pensando muito em formas de como fazer o ambiente de trabalho melhor. Entretanto, o tema felicidade no trabalho está mais constante na minha mente desde que a Liliana e eu começamos a desenvolver a Semana Internacional do Trabalho em Portugal.

Esse final de semana eu estive com uma amiga, que conheci no trabalho – como disse no meu vídeo explicando do por que sou embaixadora da felicidade, acredito sim em amizades verdadeiras feitas no trabalho – e falamos muito da época que trabalhávamos juntas e sobre a rotina atual de trabalho das duas. Ela continua trabalhando no mercado financeiro, já eu mudei completamente.

Confesso que, ao falar com ela, senti saudades de muitos momentos que tivemos juntas e momentos que tive com os meus clientes. Sinto sim saudades de muitos dos clientes e dos dias, afinal eu era sim feliz no meu trabalho.

Ela, no entanto, continua tentando me convencer que seria incrível voltar para o mercado financeiro e voltarmos a trabalhar juntas. E, como mencionei, eu era feliz fazendo o meu trabalho na época que o fazia, fico algumas vezes pensando nessa possibilidade.

No entanto, hoje sou uma pessoa diferente do que eu era na época. Imagino que, ao voltar para o mercado financeiro, eu seria sim feliz…. no curto prazo. No entanto, imagino que a falta do alinhamento entre o proposito do meu trabalho com o meu proposito pessoal prejudicaria a minha felicidade no longo prazo.

Hoje em dia eu vejo um por que no que eu faço. Eu vejo o impacto positivo que eu posso causar na vida das pessoas. Eu vejo o impacto positivo que eu posso causar na minha vida. Portanto trago aqui uma provocação: aquilo com o que você trabalha é algo que permitirá a manutenção da sua felicidade no longo prazo ou te trará felicidade apenas no curto prazo?

Eu sei que eu sou uma pessoa que penso muito mais no longo prazo e vejo que, no curto e no longo prazo, o que eu faço hoje em dia é o que me faz feliz. Posso dizer que será assim para sempre? Não, afinal de contas as pessoas mudam. Entretanto imagino que será assim por alguns bons anos!