Post escrito por Marina Caiuby, Fundadora da Mrs. Liz

A felicidade é um sentimento e isso significa que não é algo constante. Então, ser feliz hoje não garante felicidade amanhã. Por isso, precisamos trabalhar nesse sentido todos os dias.

O mesmo se aplica à felicidade no trabalho. Mas, o que é felicidade no trabalho?

Dacher Keltner e Emiliana Simon-Thomas definiram Felicidade no Trabalho como:

A felicidade no trabalho envolve uma sensação geral de prazer e uma motivação pessoal para atingir objetivos, sabendo que “o que fazemos no trabalho é importante”.

Promover a felicidade no trabalho é ótimo para os colaboradores. No entanto, também traz muitos benefícios para as empresas! Vamos partilhar aqui 5 razões pelas quais as empresas devem investir na promoção de felicidade no trabalho:

1. Organizações mais felizes têm um lucro maior para os acionistas

Alex Edmans, professor de finanças da London Business School, realizou um estudo que mostrou que as 100 melhores empresas para se trabalhar nos Estados Unidos têm um maior retorno para os acionistas, quando comparadas com outras. A diferença varia entre os 2 e 3% ao ano, ao longo de 26 anos

2. Colaboradores mais felizes são mais envolvidos e comprometidos com a empresa e por isso são mais produtivos

O relatório de 2017 da Gallup, “State of the Global Workplace” mostrou que as unidades de negócios com num nível global de “employee engagement” superior são 17% mais produtivas e 21% mais rentáveis ​​do que as que apresentam um nível inferior. O mesmo relatório mostrou ainda que em Portugal apenas 16% dos colaboradores estão envolvidos com seu trabalho (nos EUA, esse número é de 33%) e 14% consideram que não estão envolvidos e comprometidos com a empresa onde trabalham.

3. Funcionários mais felizes estão dispostos a permanecer mais tempo na mesma empresa

Uma das razões pelas quais as empresas devem investir na felicidade dos seus colaboradores está relacionada com a permanência dos colaboradores na empresa. Um estudo realizado por Thomas Wright e Douglas Bonnet em 2007 mostrou que aumentar a felicidade dos colaboradores em apenas um ponto pode duplicar a sua vontade de permanecer na empresa. Isto é algo que também representa uma redução de custos para a empresa. O relatório da Gallup “The Economics of Wellbeing” mostrou que aumentar a felicidade dos colaboradores pode reduzir os custos com a rotatividade em 52% – incluindo, por exemplo, menos custos de contratação e integração.

4. Colaboradores mais felizes têm custos com saúde mais baixos para as empresas

Diferentes estudos têm demonstrado que as pessoas mais saudáveis ​​têm um melhor desempenho. O relatório da Gallup “The Economics of Wellbeing” revelou que as empresas mais felizes têm 62% menos custos com saúde quando comparadas com as empresas mais infelizes.

5. Organizações mais felizes são mais inovadoras

Alguns artigos no Journal of Corporate Finance de 2016 referem que os locais de trabalho mais amigáveis ​​tendem não apenas investir mais em inovação, mas também a alcançar um maior sucesso. Mas, qual é a consequência de ter uma empresa mais inovadora? Um estudo do MIT Sloan analisou 28 empresas públicas entre 2014 e 2016 e encontrou uma forte correlação entre a taxa de ideação (inovação gerada) e o aumento dos lucros ou da receita líquida. Assim, quanto mais aberta à inovação uma empresa for, maior a sua tendência de crescimento.

 

Como podemos ver, diferentes estudos demostraram que colaboradores felizes podem influenciar positivamente os resultados, não apenas por serem mais produtivos, mas também pelo facto da empresa reduzir conseguir reduzir custos.

Investir na felicidade no trabalho é uma situação em que todos ganham, tanto os colaboradores quanto as empresas! Por isso, vamos todos promover a felicidade no local de trabalho.